CASA & ACABAMENTO

Casa privilegia convívio, sem abrir mão da privacidade



Míriam Bonora
miriam.bonora@jcruzeiro.com.br

Com formas bem marcadas, desenho reto, cores claras e sem definição de volumetria. Um típico imóvel com design modernista, com visual limpo e sofisticado. Os ambientes foram planejados para conferir conforto e integração. Esse é o sonho transformado em casa pelos arquitetos sorocabanos Flávia Rostelato e Jean Reis, da Arte Arquitetura. O projeto foi elaborado para um casal e sua filha, para um condomínio em Santana do Parnaíba (SP).
Com dois pavimentos, a casa possui 280 metros quadrados de área construída em um terreno de 500 m2. O piso térreo foi planejado para promover a integração entre os moradores e os visitantes. Com ambientes amplos, a sala de estar, jantar e lareira compõem um espaço de 70 metros quadrados, com acesso à área gourmet e piscina por largas portas de esquadrias de alumínio e vidros lisos.
Apenas a cozinha foi projetada de forma tradicional, isolada, e com menor tamanho, a pedido do casal, pois não costumam passar muito tempo no local e desejavam ter mais espaço para a área social das salas. No mesmo pavimento há ainda um lavabo e o escritório. A parte externa também foi projetada para propiciar um agradável convívio social, com piscina, churrasqueira em varanda ampla e banheiro com vestiário.
O primeiro andar reserva a privacidade dos moradores, com duas suítes simples com 15 m2 cada - para o caso de a família aumentar - e uma suíte master, do casal, com 20m2, sem contar o banheiro com banheira de hidromassagem e o closet. Todos os quartos possuem varanda sem telhado, sendo a suíte master com abertura para a frente da casa.
A fachada foi projetada de forma intimista, a pedido do casal, para conferir maior privacidade. A única janela baixa, na altura do térreo, é a que mostra apenas a escada, que divide o eixo do imóvel. A maior parte das janelas e portas é voltada para as laterais e fundos da casa, direcionadas principalmente à piscina e área gourmet.
Em todo o imóvel, predominam os tons de branco. As paredes e teto são todas em off-white, com detalhes em cor apenas nos banheiros e na área da piscina, com o revestimento em pedra. O piso do pavimento térreo é em porcelanato claro, a parte superior tem laminado de madeira clara e a escada foi feita em mármore branco, com acabamento em 45 graus, transformando-a em uma escultura.
A cor fica por conta dos móveis, jardins de inverno e itens de decoração, dando um tom sofisticado e limpo ao visual. Além de favorecer a sensação de amplitude dos ambientes, esse conceito faz com que a casa seja versátil, com possibilidade de mudar a aparência interna de forma mais rápida e barata, já que os tons neutros permitem diversas combinações. Esse aspecto traz também vantagens na iluminação e propicia clima mais ameno nos ambientes, pois as cores claras atraem e retêm menos calor.
Outro aspecto característico do design moderno projetado por Flávia e Jean é o telhado embutido, onde as telhas de fibrocimento não aparecem, pois a estrutura está sob a platibanda. Por fora, o beiral - que é o fechamento do telhado - está presente em todo o perímetro da casa, finalizando o desenho da casa com traços retos e bem definidos. A arquiteta comenta que o telhado embutido é uma tendência atual no mercado, implantado em 80% dos projetos assinados pelo casal. Além do custo ser um pouco menor, essa estrutura é a ideal também para a colocação de cisternas, pois toda a tubulação de calhas já existe, e de forma interna, sem prejudicar o visual.

Iluminação natural

Além das cores claras contribuírem para a temperatura amena da casa, um cuidado básico proporciona ambientes mais confortáveis durante a maior parte do ano. Flávia explica que uma das primeiras preocupações para o projeto é a identificação das características de topografia, ventilação e iluminação natural do terreno onde o imóvel será construído. A partir desse estudo, os arquitetos direcionaram a disposição dos cômodos.
Ao norte é onde há maior incidência de sol, trazendo mais luz e também calor, por isso é o local ideal para a piscina e área de convívio externo. Flávia aponta que a face sul do terreno é a mais fria, por isso recebeu a cozinha e área de serviço, que são espaços de menor permanência. Os quartos e salas estão dispostos nas faces leste e oeste, que recebem o sol mais saudável, da manhã e do final da tarde, propiciando iluminação natural durante o dia, sem grande elevação de temperatura.
Para os períodos noturnos, o projeto iluminotécnico privilegiou a versatilidade e a criação de efeitos com a iluminação de destaque em alguns pontos. Para o dia a dia, o uso é da iluminação embutida, distribuída em vários pontos no teto, com possibilidade de graduar a intensidade, acendendo parte ou a totalidade das lâmpadas. "O projeto permite gerar economia, pois a pessoa pode escolher quantas lâmpadas vai acender. Em uma festa intimista, é possível deixar o ambiente mais aconchegante. Todos os cômodos possuem essa graduação", acrescenta a arquiteta.
Em pontos estratégicos foram colocadas luminárias pendentes para criar cenários, como no hall de entrada e direcionadas a alguns objetos de decoração. Flávia conta que foram usadas lâmpadas halógenas, principalmente a dicróica e a par20. Esta última é usada para ambientes mais altos, com pé direito duplo, que necessitam de luz mais forte e suportam o maior calor irradiado pela par20. A arquiteta relata que as lâmpadas led ainda não são usadas para projetos residenciais, pois são frias, com abertura de feiche menor e potência baixa. Para usá-las, seria preciso mais luminárias, o que traria poluição visual, e a cor não favoreceria o conforto e bem-estar que só as halógenas trazem.